Nossa História

A nossa história começa em 2012, com um grupo de amigos, com o objetivo de conhecer as necessidades da comunidade do Peri Alto, bairro da zona norte de São Paulo com alta vulnerabilidade social. Para isso foi realizado um trabalho de pesquisa com os moradores – 44 famílias foram entrevistadas – e se confirmou a inexistência de qualquer equipamento público de lazer ou de cultura na região.
O Projeto PIPA nasce, então, com a proposta de oferecer, em especial às crianças e aos adolescentes, um espaço de integração a fim de minimizar a deficiência desses equipamentos na região. Para isso, houve a junção de esforços do Projeto Resistência, que tem como eixo temático o resgate do brincar e da cultura popular, com o Centro de Incentivo ao Estudo e Orientação Vocacional (CIEOP) que oferece cursos de orientação vocacional a partir de uma análise da personalidade, dos interesses vocacionais, das habilidades e das prioridades dos adolescentes. A partir dessa fusão se adotou como eixo temático o resgate do brincar e da cultura popular, bem como a orientação aos adolescentes.
Em 2018, o Pipa passa por um processo de institucionalização. Deixa de ser um coletivo e passa a ser uma organização social. Nasce a Associação Pipa unindo forças com o Preparando o Futuro – Cursinho Popular, com o propósito de expandir suas ações e dar maior sustentabilidade aos dois projetos.
O Preparando o Futuro – Cursinho Popular iniciou suas atividades em 2008 como um coletivo de universitários visando, principalmente, reforço e orientação para adolescentes e jovens no ingresso às escolas técnicas, em especial, as escolas técnicas estaduais – ETECs, cujo ingresso é por meio de prova denominada vestibulinho. Como muitas matérias no ensino público fundamental não cobrem toda a grade prevista, os alunos de escolas públicas ficam prejudicados na realização do processo de seleção de alunos.
Sabendo dessa realidade e do potencial que os jovens da periferia apresentam, o coletivo oferta ensino não formal, orientação a alunos e pais, além de diversas atividades complementares que visam incentivo e novas perspectivas pela educação e desenvolvimento de seus Projetos de Vida.
Atualmente, para as crianças, promovemos atividades como o Dia do Brincar, Dia do Cinema, Biblioteca entre outras atividades lúdicas e para os adolescentes oferecemos complemento de conteúdo escolar, visão sociopolítica crítica e orientação vocacional para, prioritariamente, estudantes de escolas públicas e moradores dos bairros Brasilândia e Peri Alto, contribuindo para o seu ingresso nas Etecs (Escolas Técnicas Estaduais) por meio de provas classificatórias (vestibulinho). Também oferecemos curso de fotografia e vídeo para os adolescentes como uma possibilidade de profissionalização.

Onde Estamos

Estamos na Zona Norte de São Paulo. Atuamos no bairro Peri Alto, no Distrito da Vila Nova Cachoeirinha, e também nos Bairros Jardim Ondina e Jardim Elisa Maria, ambos no distrito da Brasilândia, com proximidade de 2 km entre eles

Estes territórios localizados na Zona Norte de São Paulo, são classificadas no Grupo 5: Vulnerabilidade Alta e Grupo 6: Vulnerabilidade Muito Alta (o último da escala), segundo o IPVS (Índice Paulista de Vulnerabilidade Social – Desigualdade Social e Pobreza).
Este índice, elaborado pela Fundação SEADE, oferece uma visão detalhada das condições de vida no município, com a identificação e a localização espacial das áreas que abrigam os segmentos populacionais mais vulneráveis à pobreza, levando em conta não apenas a renda, mas também os diversos fatores determinantes como porcentagem de pessoas alfabetizadas, escolaridade, saúde arranjo familiar, possibilidades de inserção no mercado de trabalho, acesso a bens e serviços públicos.*
Outros dados importantes do território são constatados no Mapa da Desigualdade 2018, elaborado pela Rede Nossa São Paulo.**
O distrito da Brasilândia ocupa o terceiro maior índice de gravidez da adolescência, entre os 96 distritos da Cidade de São Paulo.
O Distrito da Cachoeirinha ocupa o 9º lugar em maior índice de mortalidade infantil, entre os 96 distritos da Cidade de São Paulo.
A idade média ao morrer em ambos os distritos está entre os 30 distritos em que se morre mais cedo. No distrito da Brasilândia a idade média ao morrer é de 63 anos e na Cachoeirinha, 65 anos. Em comparação ao melhor índice, no distrito do Jardim Paulista, onde se tem a média de 82 anos de idade, temos uma diferença de expectativa de vida de 20 anos a menos.
* http://www.iprs.seade.gov.br/ipvs2010/
**https://www.cidadessustentaveis.org.br/arquivos/mapa_desigualdade_2018_completo.pdf

Casa PIPA

Em 2015, o Pipa alugou uma casa para melhor atender a comunidade. O espaço foi inaugurado em julho de uma forma especial: as crianças deixaram sua marca na parede.

Só foi possível o estabelecimento na casa após a realização de vários mutirões tanto de limpeza como de reforma da área interna e campanha para compra de matérias de construção.

Principais desafios

🔹 Aumentar a participação de voluntários;

🔹Captação de recursos para contratação de funcionários para setor administrativo e de comunicação;

🔹 Captação de recursos para implementação do planejamento estratégico com a contratação de oficineiros para a realização dos projetos;

🔹 Compra do Mobiliário Pedagógico para Casa PIPA;

Nossos Valores

  • Respeito – Respeito às diversidades por meio da empatia e horizontalidade.
  • Direitos Humanos – Atuação em direitos humanos visando o combate à discriminação de gênero, regionalidade e ao racismo.
  • Cidadania – Articulação na temática da cidadania atuando para a redução das desigualdades socioeconômicas.
  • Igualdade – Respeito às diversidades por meio da empatia e do combate à discriminação de gênero, regionalidade e ao racismo, bem como atuação para a redução das desigualdades socioeconômicas.
  • Desenvolvimento Sustentável – Atuação em contribuir para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – Agenda 2030.

Nossa Missão

Promover o protagonismo de crianças e adolescente e atuar a favor da justiça social nas esferas do brincar, da cultura, das artes e da educação não formal.

Nossa Visão

Crianças e adolescentes com princípios de autonomia e cidadania, sendo sujeitos políticos, capazes de mudar sua realidade e contribuindo para melhoria da sua comunidade.